Boletim Corona Virus GovBR

Governo Bolsonaro fiscalizou 2% dos alertas de desmatamento

Levantamento do MapBiomas, rede colaborativa de ONGs, universidades e startups, mostra que quase 98% dos alertas de desmatamento no Brasil d...

Parque Nacional de Brasília, Brasília, DF, Brasil 19/7/2017 Foto: Andre Borges/Agência Brasília.

Levantamento do MapBiomas, rede colaborativa de ONGs, universidades e startups, mostra que quase 98% dos alertas de desmatamento no Brasil desde janeiro de 2019 não possuem registro de ação de fiscalização ou autorização. 

Os dados fazem parte do Monitor da Fiscalização do Desmatamento, iniciativa lançada ontem (4/5) que analisou as informações oficiais disponibilizadas pelo próprio governo federal.

O monitor recolhe e organiza informações sobre autorizações de desmatamento, autuações de fiscalização e embargo de propriedades rurais emitidos pelos órgãos federais e estaduais de controle.

As primeiras análises revelam que até março de 2022, o governo federal atuou apenas sobre 2,17% dos alertas. A área com ações de fiscalização registrada alcançou 13,1% do total de desmatamento detectado desde 2019.

Isso significa que os órgãos do governo deixaram de fiscalizar 194.964 dos 199.520 alertas de desmatamento no Brasil recebidos desde 2019.

“Apesar da abundância de informações e evidências de crimes ambientais, as ações de fiscalização ainda estão aquém do necessário para coibir o desmatamento", afirma Ana Paula Valdiones, coordenadora do Instituto Centro de Vida (ICV) e uma das responsáveis pela plataforma.

Os dados são preocupantes. No primeiro trimestre de 2022, a Amazônia Legal registrou no primeiro trimestre o maior número acumulado de alertas de desmatamento na história do monitoramento feito pelo Inpe. O total chega a 941,34 km², maior índice desde 2016. 

A plataforma Terra Brasilis, do Inpe, mostra que o crescimento em relação a 2021 foi de 64,19% – quando foram registrados 573,29 km² no mesmo período. 

Sem ações de fiscalização, o Brasil assiste – literalmente – o desmatamento avançar. Em 2021 houve crescimento pelo terceiro ano consecutivo, o que colocou o país no topo do ranking global de destruição das florestas.

No ano passado, quase metade das áreas de floresta desmatadas no mundo estava aqui. Ao todo, o país perdeu aproximadamente 1,5 milhão de hectares de bioma nativo no período, segundo a plataforma Global Forest Watch (GFW), iniciativa do World Resources Institute (WRI).

Não é por falta de recurso. Um relatório do Observatório do Clima mostra que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) liquidou em 2021 apenas 41% dos R$ 219 milhões disponíveis para combater o desmatamento.

A título de comparação, nos governos anteriores a Bolsonaro, o Ibama costumava liquidar entre 86% e 92% dos recursos para a fiscalização.

Como consequência, o número de autos de infração por desmatamento foi o menor em duas décadas em 2021 — 40% abaixo da média da década anterior ao atual governo.

O número de embargos de propriedade caiu 70% em relação a 2018. Considerado um dos instrumentos mais eficientes contra o desmate, ele impede que áreas embargadas vendam carne ou soja, ou tomem crédito rural em bancos públicos, por exemplo.

Jair Bolsonaro inclusive comemorou em janeiro que seu governo reduziu “em 80% o número de multagens (sic)”. 

Estados mais atuantes. O monitor do MapBiomas analisou cinco estados da federação – Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará e São Paulo são os únicos com dados atualizados e em formato adequado – e encontrou uma situação um pouco melhor. 

O destaque é Mato Grosso, onde a fiscalização incidiu sobre 29% dos 13 mil alertas de desmatamento. 

Após a aquisição de sistema de alertas de desmatamento com imagens de alta resolução, o estado tem fortalecido o combate ao desmatamento ilegal. Quando considerada a área total dos alertas com alguma ação ou autorização o percentual sobe para 41%.

Em Minas Gerais, ações de fiscalização da SEMAD (secretaria de meio ambiente) ou autorizações emitidas pelo IEF (instituto de florestas) cruzaram geograficamente com 22,4% dos alertas de desmatamento publicados no estado. 

Os alertas onde foram identificadas ações representam somados 34,6% da área desmatada.

Pará é o estado com mais alertas de desmatamento validados pelo MapBiomas – mais de 60 mil desde janeiro de 2019. A partir da análise dos dados públicos disponíveis, em 1,8% desses alertas incidem autorizações ou embargos do governo estadual, o que representa 9,8% do desmatamento total publicado.

Em São Paulo, as ações de fiscalização da SIMA  (secretaria de meio ambiente) cobriram 21%  alertas no estado, ou 26 % da área total desmatada.

Em Goiás, as ações de fiscalização abrangeram 10,3% das notificações, cobrindo 24,8% da área de desmatamento detectada no período.

"Existem avanços importantes, especialmente nos estados, mas os dados do Monitor mostram que a impunidade ainda marca o desmatamento ilegal no Brasil", comenta Tasso Azevedo, coordenador geral do MapBiomas. 

"Dar transparência e publicidade às ações de fiscalização do desmatamento permite aos tomadores de decisão, especialmente no setor privado e financeiro, uma visão mais clara dos riscos que correm em relação à contaminação da cadeia produtiva com produtos oriundos locais com atividades ilegais de desmatamento", completa. 

Enquanto isso, as empresas assistem ao descontrole das emissões pelo desmatamento e aguardam a definição do mercado brasileiro de carbono, peça fundamental da política ambiental para setores econômicos que precisam se financiar e exportar em um mercado cada vez mais exigente.

O projeto está paralisado na Câmara dos Deputados e, sem acordo, o Ministério do Meio Ambiente trabalha em um decreto para iniciar a regulamentação do mercado nacional.

O setor de mudanças de uso da terra – onde está o desmatamento – é o que tem a maior participação nas emissões totais brutas do Brasil. 

Em 2020, respondeu por 46% das emissões totais brutas, seguido por agropecuária (27%), energia (18%), processos industriais (5%) e resíduos (4%), de acordo com o Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG).

Naquele ano, as emissões totais brutas do Brasil somaram 2,16 bilhões de toneladas de CO2 equivalente, um aumento de 9,5% em relação a 2019. 

Com informações de EPBR | Editada por Nayara Machado
Legenda: Parque Nacional de Brasília, Brasília, DF, Brasil 19/7/2017 Foto: Andre Borges/Agência Brasília.

COMENTÁRIOS

Atualidade Politica
Nome

abnt,25,acessibilidade,1,acidente de trabalho,3,Acolhimento,1,administração,12,Aerolula,1,agricultura,3,agronegócio,13,água,16,águas claras,1,Aldo Rebelo,1,alianças,1,Ambulatório,1,Amor Cantado,1,aneel,5,animais,7,antissocial,3,ar condicionado,15,Arlete Sampaio,1,arquitetura,9,Arruda,1,arte,3,artigo,40,ASSOCIE-SE,14,assosindicos,148,atacarejo,1,ateu,2,ativismo,9,ATUALIDADE POLÍTICA,733,automobilsmo,2,aviação,1,Banco Regional de Brasília,4,beleza,1,Bolsa Família,1,Brasil,17,brasilia,1,Brasília,6,BRB,11,caesb,8,câmeras,2,CAMPANHA DO AGASALHO,1,campanha eleitoral,15,câncer,5,candidatura,4,Carnaval,6,carreira,11,carteira,2,cartilha,2,Casa Civil,1,cassação,1,católica,1,CEB,6,celular,1,censura,2,Centro Administrativo,1,charge,2,cidadania,57,CIDADE,59,Cidades,9,ciência,1,cinema,8,CLDF,34,codhab,2,Código de Edificações,4,código de posturas,1,Collor,1,combate à dengue,2,combate ao câncer de próstata,1,comemoração,4,Companhia Energética de Brasília,6,comportamento,13,comunidade,1,comunismo,3,conciliacao,4,concurso,1,condomínio,64,conic,1,conselho profissional,8,construção civil,16,construtoras,3,consulta pública,7,consumidor,16,consumo,6,conta,5,contribuição sindical,4,contrução civil,3,convênio,1,CONVITE,34,copa2014,1,corpus Christi,1,Correio Braziliense,1,corrida eleitoral,32,corrupção,35,crise,14,crise hídrica,6,Cuidar e Amparar,1,cultura,25,curso superior,3,cursos,15,custo de construção,1,custos,1,data comemorativa,13,debate,3,Defesa,5,democracia,1,dengue,2,Deputado Distrital,9,Deputado Federal,7,DER-DF,3,Desenvolvimento Pessoal,1,despesas,1,Detran,19,DFTrans,5,dia do síndico,5,dia mundial da água,2,Diálogos com a Juventude,1,DIGA NÃO AO AUMENTO DE IMPOSTOS,30,Dilma,3,dinheiro,10,diploma,1,direita,2,direito,29,Distrito Federal,29,ditadura militar,4,dívidas,9,Dona Sarah Kubitschek,1,drogas,2,economia,107,economistas,1,EDITAL DE CONVOCAÇÃO,1,Eduardo Campos,1,educação,63,eleições,91,eleitor,10,eletricidade,10,elevadores,4,empreendedorismo,24,empregado,10,emprego,6,empresas,14,energia,50,engenharia,72,EnSínAC,14,ENTENDER CONDOMÍNIO,2,entorno,7,entretenimento,9,Escola de Síndicos,33,espionagem,1,esporte,21,estatuto,2,evasão de divisas,1,evento,30,Fan Fest,1,feminismo,1,Fernando Henrique Cardoso,1,FHC,2,FIFA,1,fim de ano,2,finanças,10,finanças pessoais,22,fogo,1,fort atacadista,2,futebol,7,gás,2,gastronomia,13,GDF,127,Geriatria,1,Gerontologia,1,gestão condominial,5,Goiás,45,golpe,11,golpismo,6,Governador,29,Governo,64,guerra,7,habitação,10,HEF,2,HEL,1,HESLMB,1,Hetrin,1,HSBC,1,humor,2,IBRAM,2,IESB,1,igreja,2,IMED,2,imóveis,27,impeachment,3,impostos,34,inadimplência,4,incêndio,5,indústria,3,inelegibilidade,3,INFORMAÇÃO,21,informática,1,ingressos,1,inovação,23,INSCRIÇÃO AQUI,1,inspeção,1,inspeção predial,5,internacional,1,internet,30,itormann,1,Joaquim Barbosa,1,Jornalismo,44,Juarezão,1,justica,7,justiça,56,juventude,4,lazer,10,Letícia González,1,LGPD,4,livro,3,Lúcia Amorim de Brito,1,Lula,3,machismo,1,Manuela D'Ávila,1,manutenção,9,Marconi Perillo,1,marketing,2,MCB,105,MCIT,2,medicina,3,meio-ambiente,7,mensalão do DEM,1,mercado,13,mesa do Natal,1,meteorologia,1,microgeração,4,mídia,9,militar,4,ministério,5,Ministério Publico,4,Miriam Belchior,1,mobilidade urbana,21,moda,1,Monitoramento,1,mulher na poílica,3,Mulheres,21,Mulheres na Política,3,multa,4,mundo,21,município,7,Natal,2,Natal do Milhão,1,Negocios,1,Neoenergia,3,neurociência,2,neuromarketing,2,normas,9,NOTICIAS,338,notificação,1,Novembro Azul,1,nutrição,1,obras,50,ocupe o centro,1,opinião,1,orçamento,1,ORDEM DE SERVIÇO,1,Pacto por Brasília,1,pandemia,77,Parque da Cidade,3,Partidos Políticos,40,Paulo Dubois,2,Paulo Octávio,1,PCdoB,2,PDSK,3,Perpétua Almeida,1,perseguidos políticos,1,pesquisa,8,petróleo,3,PL,19,playground,2,pmdb,1,polícia,7,Política,117,Porto Alegre,2,postos de saúde,12,prefeito,5,prefeitura,7,presidência da república,7,presidenta,1,presidente,18,profissional,14,Projeto de Lei,53,pronunciamento,2,propaganda política,4,propina,1,PSD,1,PSDB,6,pt,1,qualificação,22,reforma,6,reforma política,10,reformas,6,registro,3,regras de convivência,13,relacionamento,4,religião,7,revitalização,1,Ricardo Izar,1,Ricardo Lustosa,1,Roberto Santiago,1,rodovias,1,Rousseff,2,Sandra Faraj,1,Sarah Kubitscheck,1,saúde,189,sedhab,2,segeth,1,segurança,51,seguro,5,selo de qualidade,2,senado federal,17,serviços técnicos,5,setor elétrico,2,sia / guará,14,sindicatos,1,síndico,118,smartphone,3,solar,2,SOLIDARIEDADE,8,sonegação,2,sorteio de casas,1,STF,9,subsíndico,1,Supermercados,1,Supremo,2,sustentabilidade,23,tarifas,13,taxa,6,técnico,8,tecnologia,56,telecomunicação,4,tendência política,76,Terceira Idade,1,trabalhador,37,transito,1,trânsito,19,transporte coletivo,20,transportes,9,Trocando ideias entre Síndicos,2,TSE,30,turismo,10,UDN,1,utilidade pública,6,Utilidades de casa,1,Vida de Solteiro,1,video,11,vistoria,1,votação,3,WhatsApp,4,zelador,1,
ltr
item
Atualidade Política: Governo Bolsonaro fiscalizou 2% dos alertas de desmatamento
Governo Bolsonaro fiscalizou 2% dos alertas de desmatamento
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgOrPu0IWM5Kzu4cl_ihjd7CXF2ULf5epYjFK_3CJAmnhhqLp-X4elpxXwM__K4tYD17BRhfXpHQS84mC5jVkBVbnOlNTRRw5EQThxZO1EG4krDCMh_WI-hyPAr9kIYa61n7epiCAzJZA0psCFjmU5kiKo_8L21czYsl1hJzl9VOG5FiGQVbf3Mt11L/s16000/35862621742_b3ac9e7ed5_c.jpg
https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEgOrPu0IWM5Kzu4cl_ihjd7CXF2ULf5epYjFK_3CJAmnhhqLp-X4elpxXwM__K4tYD17BRhfXpHQS84mC5jVkBVbnOlNTRRw5EQThxZO1EG4krDCMh_WI-hyPAr9kIYa61n7epiCAzJZA0psCFjmU5kiKo_8L21czYsl1hJzl9VOG5FiGQVbf3Mt11L/s72-c/35862621742_b3ac9e7ed5_c.jpg
Atualidade Política
http://www.atualidadepolitica.com.br/2022/05/governo-bolsonaro-fiscalizou-2-dos.html
http://www.atualidadepolitica.com.br/
http://www.atualidadepolitica.com.br/
http://www.atualidadepolitica.com.br/2022/05/governo-bolsonaro-fiscalizou-2-dos.html
true
440335298870425399
UTF-8
Carregar todos Post não encontrado Ver todos Ler mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGS POSTS Ver tudo Relacionadas Tópico Arquivo BUSCAR Todos Nenhuma resposta para a busca Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto há $$1$$ minutos 1 hora há $$1$$ horas Ontem há $$1$$ dias há $$1$$ semanas há mais de 5 semanas Seguidores Seguir CONTEÚDO EXLUSIVO - COMPARTILHE PARA ACESSAR 1º Compartilhe em suas redes sociais para liberar 2º Clique no link compartilhado em sua rede social Copiar tudo Selecionar tudo Todos códigos copiados Códigos/textos não copiados, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar Sumário