Tambor da Aldeia - Liberdade de Imprensa

Proficiência em inglês: qual teste escolher?

Partilhar:
Danntec Engenharia
Créditos: Divulgação


Cursar o Ensino Superior, mestrado ou doutorado no exterior, na maior parte das vezes, demanda uma série de documentos e avaliações. Uma dessas exigências é realizar exame de proficiência de língua inglesa. Esses testes servem para assegurar que o candidato consegue compreender e se comunicar naquela língua. Mas, quando se fala em proficiência em inglês, há muitas opções. Cambridge, TOEFL, IELTS. Qual deles é o mais adequado?

De acordo com o gerente de conteúdos do PES English, Luiz Fernando Schibelbain, tudo depende de quais são os objetivos. Em muitos casos, a universidade ou governo é que determina qual teste é aceito para aquele objetivo específico. Mas, se a ideia for enriquecer o currículo ou ter um certificado oficial atestando o nível de inglês, alguns fatores precisam ser levados em consideração na hora de decidir qual exame prestar. Valor do investimento, facilidade de acesso e prestígio do exame são alguns desses fatores. “Você também pode estar inserido em um programa de ensino de inglês que tenha uma certificação internacional integrada a ele, o que vai funcionar como uma auditoria externa para verificar o que você aprendeu, se o programa é eficaz e se a instituição conveniada a ele está prestando um serviço pedagógico de qualidade”, explica. O PES English adota os exames de Cambridge, por exemplo.

Qual é o melhor momento para prestar um exame de proficiência?

A maior parte dos exames de proficiência disponíveis atualmente no mercado tem uma data de validade. Ou seja, teoricamente não adianta prestar esses exames muitos anos antes que seja necessário apresentá-los às universidades ou governos, porque eles estarão expirados até lá. Nesse sentido, os exames de Cambridge levam vantagem, porque não têm data de validade. TOEFL e IELTS, por sua vez, valem por dois anos cada.

Para Schibelbain, há ao menos três momentos em que uma pessoa deve considerar prestar um exame de proficiência: ao término de um ciclo escolar, como ao fim do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio, ao se candidatar a estágios ou estudos em instituições globais e ao ingressar em uma carreira corporativa em que o inglês seja um pré-requisito essencial.

Quais as principais diferenças entre Cambridge, TOEFL e IELTS?

Aceito em mais de 25 mil instituições de todo o mundo, os exames de inglês elaborados pela Cambridge Assessment English trabalham incentivando a progressão contínua, de modo a melhorar as habilidades linguísticas da fala, compreensão, leitura e escrita, desde o nível básico até o proficiente. “Esses exames possuem versões para escolas, ensino geral e superior e para negócios. Podem ser usados para fins de ensino superior e pós-graduação, corporações, órgãos de governo e ministérios”, detalha o especialista.

Por sua vez, o International English LanguageTesting System (IELTS) é aceito em mais de 10 mil instituições que estão em 140 países. O objetivo do teste é avaliar a maneira como se usa o idioma para estudar, trabalhar e viver em um ambiente onde o inglês é falado. As instituições que o aceitam têm diferentes níveis de exigência para as notas. O IELTS também é dividido em versões e é preciso saber qual delas é requisitada em cada situação.

Já o TOEFL é um certificado que atesta como está a proficiência em inglês do candidato em um determinado período. Muito requisitado pelo meio acadêmico, é hoje um dos mais conhecidos do mundo. Mas atenção: embora algumas instituições europeias aceitem o TOEFL, ele é mais solicitado por instituições de ensino americanas e canadenses.

Como deve ser feita a preparação para um exame de proficiência?

Segundo Schibelbain, qualquer exame de proficiência precisa de muito estudo e conhecimento do idioma para que possa ser realizado de modo a atingir bons resultados. No caso de Cambridge, ele ressalta que é preciso buscar professores com formação continuada, além de materiais didáticos alinhados com os pré-requisitos que envolvem aquisição de língua, contextualização, aplicação e diagnóstico contínuo. Esses materiais também precisam desenvolver a prática da língua nas quatro habilidades (fala, escrita, leitura e compreensão oral) de forma constante e monitorada. “A partir daí, o candidato deve ter oportunidades de conhecer o formato das provas e o que será solicitado em cada uma delas. Também é importante participar de simulados dessas avaliações”, orienta.

_____________________

Sobre o PES English

O PES English é um programa de Inglês avançado destinado a escolas particulares. Ele oferece aos professores assessoria pedagógica especializada, portais de conteúdo e uso da língua inglesa, além de materiais didáticos internacionais publicados pela Cambridge University Press. Presente em mais de 260 escolas em todo o país e atendendo a mais de 55 mil alunos, a solução educacional tem como objetivo desenvolver as habilidades de leitura, fala, escrita e escuta do Inglês em alunos entre 3 e 16 anos. Com certificação e reconhecimento internacionais, o PES também oferece a escolas e alunos assessoria na administração e aplicação de exames de proficiência Cambridge Assessment English.

Partilhar:

Associado ABBP

ATUALIDADE POLITICA

0 comentários: