Tambor da Aldeia - Liberdade de Imprensa

CSN adquire Elizabeth Cimentos e Mineração em negócio de R$ 1,08 bi

Partilhar:
Danntec Engenharia
O fechamento da operação, segundo a CSN, está sujeito a condições precedentes usuais em operações desta natureza

Foto: Fernando Soutello/Reuters
Por Paula Arend Laier, da Reuters

A CSN comunicou nesta quarta-feira (30) que a sua controlada CSN Cimentos fechou contrato para a aquisição da Elizabeth Cimentos e Elizabeth Mineração, que atua na região Nordeste, em especial na Paraíba e Pernambuco.

O negócio foi avaliado em R$ 1,08 bilhão e envolve pagamento em caixa, aporte de capital e assunção de dívidas.

O fechamento da operação, segundo a CSN, está sujeito a condições precedentes usuais em operações desta natureza, inclusive a aprovação por parte das autoridades concorrenciais.

A aquisição adiciona uma capacidade produtiva para a CSN Cimentos de 1,3 milhão de toneladas por ano. Com o fechamento da operação, ela passará a ter uma capacidade total de 6 milhões de toneladas por ano e presença cada vez mais abrangente no território nacional como um produtor relevante e de baixo custo.

"São esperadas relevantes sinergias operacionais, logísticas, de gestão e comerciais, com espaço para evolução de mix de produtos e expansão da base de clientes", afirmou a CSN em fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Em 9 de junho a CSN confirmou que estava negociando a aquisição da Elizabeth Cimento, pertencente ao fundo Farallon. Na época, era previsto uma negociação envolvendo entre US$ 200 milhões US$ 250 milhões.

Gargalo


A pandemia de Covid-19 criou um gargalo importante no setor de infraestrutura, com a falta de insumos como aço e cimento. No primeiro caso, por exemplo, o reaquecimento da indústria nacional fez com que as produtoras precisassem atender a vários pedidos dos mercados interno e externo.

Segundo o empresário José Mack, o preço do cimento aumentou em 70%. No entanto, ele também ressaltou que houve uma alta nas vendas entre 50% e 60%.

Com informações da CNN Brasil
Partilhar:

construção civil

empresas

0 comentários: