Tambor da Aldeia - Liberdade de Imprensa

Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas abre inscrições

Partilhar:
Danntec Engenharia



Foram reabertas hoje (19) as inscrições para a 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), que haviam sido adiadas por força da pandemia do novo coronavírus. O prazo para inscrições vai até o dia 30 deste mês.

O diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, comemorou o retorno das inscrições para o evento, que neste ano traz mudanças no regulamento. “É uma alegria poder fazer a Obmep este ano. No ano passado, a gente ficou travado por conta da pandemia do novo coronavírus, porque dependemos das escolas estarem funcionando para a olimpíada poder acontecer. Este ano, nós estamos nos ajustando à realidade. É uma mudança grande”, afirmou.

A primeira mudança diz respeito às provas da primeira fase. Elas não terão só um dia para acontecer, mas um mês. As escolas terão de 30 de junho a 3 de agosto de 2021 para aplicar os exames.

Marcelo Viana explicou que, dentro desse prazo, cada escola define a data de realização das provas, de acordo com as condições locais. “Essa é uma grande mudança”. As provas serão enviadas para as escolas por meio da plataforma Obmep, dentro da área restrita de cada instituição.

“Para ajudar na segurança, a gente este ano elaborou várias provas. A escola não sabe, a priori, qual prova vai receber”. Já o resto do material será enviado pelo correio, como sempre foi feito, incluindo material para preparação dos alunos, banco de questões, a grade de correção das provas de múltipla escolha.

Adaptação

Outra modificação importante causada em decorrência da pandemia é o atendimento a uma solicitação dos alunos que, no ano passado, estavam no terceiro ano do ensino médio, saíram da educação básica e não tiveram a chance de fazer a olimpíada. “A gente vai facultar para os alunos que estejam interessados a possibilidade de participarem este ano, como candidatos extras. Será a primeira vez que isso vai acontecer”, expôs Viana.

Alguns desses estudantes já estão na faculdade. Eles vão poder participar por fora da cota de cada escola, para não prejudicar os demais estudantes. Para serem classificados para a segunda fase, eles terão que ter, pelo menos, a mesma nota dos alunos da escola que estão no terceiro ano do ensino médio. “Tudo isso para a gente se adaptar à realidade criada pela pandemia e tentar facilitar o máximo possível a participação na olimpíada”, comentou o diretor-geral do Impa.

As escolas que enviaram documentação entre 10 de fevereiro e 20 de março de 2020 têm mantidas as inscrições para a edição da Obmep deste ano. Podem participar escolas públicas e privadas.

Os cartões-respostas dos estudantes classificados para a segunda fase devem ser enviados pelos correios ou por aplicativo entre 1º de julho e 11 de agosto. No dia 9 de setembro, a organização divulgará os classificados para a segunda fase, prevista para acontecer de forma presencial, em 6 de novembro. Os resultados finais, com a lista de premiados, serão divulgados no dia 18 de janeiro de 2022.

A olimpíada

Maior olimpíada científica do país, a Obmep reuniu mais de 18,2 milhões de estudantes na edição de 2019, abrangendo 99,71% dos municípios do Brasil. Criada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), em 2005, a competição é voltada a alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio de escolas públicas municipais, estaduais e federais e escolas privadas.

As provas acontecem em duas fases: a primeira é composta por uma prova múltipla-escolha de 20 questões, e a segunda por uma prova discursiva de seis questões. Os exames são divididos por grau de escolaridade: Nível 1 (6º e 7º anos do ensino fundamental), Nível 2 (8º e 9º anos) e Nível 3 (ensino médio). Serão distribuídas aos alunos participantes 575 medalhas de ouro, 1.725 medalhas de prata e 5.175 medalhas de bronze, além de 51.900 menções honrosas.

Todos os medalhistas serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), como incentivo e promoção do desenvolvimento acadêmico dos estudantes.

Além de estimular o estudo da matemática no país, a competição busca identificar jovens talentosos e promover inclusão social por meio da difusão do conhecimento. A Obmep é realizada com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC).

Partilhar:

educação

0 comentários: