Índice Nacional da Construção Civil sobe 1,99% em janeiro

Partilhar:
Danntec Engenharia


Por Agência IBGE Notícias. O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 1,99% em janeiro, em relação a dezembro, a maior taxa da série com desoneração da folha de pagamentos, iniciada em 2013. O resultado ficou 0,05 ponto percentual acima da taxa de dezembro de 2020 (1,94%). O acumulado nos 12 meses foi de 12,01%, acima dos 10,16% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2020 o índice foi 0,30%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que fechou o ano de 2020 em R$ 1.276,40, passou em janeiro para R$ 1.301,84, sendo R$ 731,37 relativos aos materiais e R$ 570,47 à mão de obra.

A parcela dos materiais aumentou 2,96%, 0,43 ponto percentual a menos do que em relação a dezembro de 2020 (3,39%). Considerando o índice de janeiro de 2020 (0,62), houve aumento de 2,34 pontos percentuais.

Já a mão de obra apresentou taxa de 0,78%, subindo 0,60 ponto percentual em relação a dezembro de 2020 (0,18%). Comparando com janeiro de 2020 (-0,06%), o aumento foi de 0,84 ponto percentual. Cabe lembrar que em janeiro de 2020 não foram firmados acordos coletivos, em contrapartida a dois dissídios observados nos estados em janeiro de 2021.

Os acumulados em 12 meses ficaram em 20,00% (materiais) e 3,19% (mão de obra), respectivamente.

Região Nordeste registra maior variação mensal

A Região Nordeste, com alta observada na parcela dos materiais em todos os estados, além de acordo coletivo registrado no Piauí, ficou com a maior variação regional de janeiro de 2021: 2,32%. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 1,27% (Norte), 2,06% (Sudeste), 1,84% (Sul) e 1,58 (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.306,14 (Norte); R$ 1.229,05 (Nordeste); R$ 1.347,06 (Sudeste); R$ 1.359,87 (Sul) e R$ 1.280,81 (Centro-Oeste).

Entre as unidades da federação, o Piauí registrou a maior alta (4,33%), com aumento na parcela de materiais e os acordos coletivos firmados para categorias profissionais. Minas Gerais, com 4,01%, apresentou a segunda maior variação no mês.

O Sinapi, criado em 1969, tem como objetivo a produção de informações de custos e índices de forma sistematizada e com abrangência nacional, visando a elaboração e avaliação de orçamentos, como também acompanhamento de custos.

Sinapi – Janeiro de 2021

Com desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS NÚMEROS
ÍNDICES VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1301,84 651,57 1,99 1,99 12,01


REGIÃO NORTE 1306,14 650,79 1,27 1,27 11,08

Rondônia 1336,08 744,95 0,30 0,30 8,93
Acre 1413,47 750,31 1,10 1,10 9,38
Amazonas 1279,97 626,71 0,86 0,86 11,72
Roraima 1359,60 564,66 1,45 1,45 10,57
Pará 1294,60 620,63 1,74 1,74 11,27
Amapá 1277,98 620,72 0,84 0,84 12,23
Tocantins 1325,18 696,68 1,36 1,36 11,32


REGIÃO NORDESTE 1229,05 663,86 2,32 2,32 14,58

Maranhão 1251,11 659,03 2,97 2,97 11,56
Piauí 1263,86 839,95 4,33 4,33 14,78
Ceará 1205,68 696,32 1,94 1,94 11,76
Rio Grande do Norte 1159,41 584,40 2,64 2,64 11,30
Paraíba 1252,79 692,87 1,88 1,88 12,91
Pernambuco 1179,59 630,72 1,39 1,39 13,15
Alagoas 1192,57 595,87 3,21 3,21 13,97
Sergipe 1157,35 614,99 3,30 3,30 15,99
Bahia 1277,72 676,30 2,21 2,21 19,74


REGIÃO SUDESTE 1347,06 645,02 2,06 2,06 11,24

Minas Gerais 1267,40 697,49 4,01 4,01 13,46
Espirito Santo 1190,27 660,31 1,40 1,40 13,25
Rio de Janeiro 1409,56 642,41 0,48 0,48 9,14
São Paulo 1382,51 624,44 1,70 1,70 10,79


REGIÃO SUL 1359,87 650,35 1,84 1,84 11,17

Paraná 1337,91 639,76 2,80 2,80 12,52
Santa Catarina 1447,04 783,74 0,53 0,53 8,80
Rio Grande do Sul 1312,71 595,71 1,61 1,61 11,40


REGIÃO CENTRO-OESTE 1280,81 653,83 1,58 1,58 9,37

Mato Grosso do Sul 1221,23 574,39 1,95 1,95 9,18
Mato Grosso 1247,85 711,90 1,72 1,72 7,26
Goiás 1299,92 686,69 1,62 1,62 11,70
Distrito Federal 1339,09 591,38 1,13 1,13 9,09

Sinapi – Janeiro de 2021

Sem desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS NÚMEROS
ÍNDICES VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1389,40 695,01 1,92 1,92 11,40


REGIÃO NORTE 1387,39 691,43 1,21 1,21 10,51

Rondônia 1422,41 793,18 0,30 0,30 8,56
Acre 1501,82 797,13 1,06 1,06 8,80
Amazonas 1358,63 665,33 0,81 0,81 10,94
Roraima 1452,22 603,01 1,40 1,40 9,93
Pará 1374,09 658,52 1,64 1,64 10,75
Amapá 1357,76 659,43 0,79 0,79 11,80
Tocantins 1408,17 740,62 1,37 1,37 10,73


REGIÃO NORDESTE 1306,65 705,87 2,24 2,24 13,92

Maranhão 1331,23 701,49 2,93 2,93 11,25
Piauí 1341,53 891,37 4,29 4,29 14,05
Ceara 1280,02 738,89 1,92 1,92 11,27
Rio Grande do Norte 1232,29 620,96 2,58 2,58 10,82
Paraíba 1333,70 737,58 1,75 1,75 12,69
Pernambuco 1254,44 670,59 1,30 1,30 12,45
Alagoas 1266,57 632,91 3,11 3,11 13,17
Sergipe 1228,79 653,07 3,19 3,19 15,03
Bahia 1359,05 718,80 2,10 2,10 18,72


REGIÃO SUDESTE 1442,75 690,31 2,01 2,01 10,66

Minas Gerais 1351,25 743,33 3,95 3,95 12,90
Espírito Santo 1270,21 704,59 1,31 1,31 12,49
Rio de Janeiro 1516,81 691,70 0,58 0,58 8,82
São Paulo 1481,99 669,43 1,61 1,61 10,12


REGIÃO SUL 1456,04 696,14 1,72 1,72 10,45

Paraná 1434,12 685,75 2,61 2,61 11,64
Santa Catarina 1555,78 842,66 0,49 0,49 8,27
Rio Grande do Sul 1396,69 633,95 1,52 1,52 10,82


REGIÃO CENTRO-OESTE 1363,23 695,81 1,49 1,49 8,94

Mato Grosso do Sul 1300,57 611,15 1,83 1,83 8,59
Mato Grosso 1328,16 757,62 1,61 1,61 6,87
Goiás 1383,82 730,38 1,55 1,55 11,31
Distrito Federal 1424,38 629,15 1,06 1,06 8,71


Assista à reportagem do G1
Partilhar:

contrução civil

economia

0 comentários: