Audiência Pública trata da desvalorização da engenharia e criação da EAGU

Partilhar:
Danntec Engenharia
Deputado Ronaldo Lessa

Na tarde desta terça (28), a Câmara dos Deputados realizou AUDIÊNCIA PÚBLICA DA FRENTE PARLAMENTAR MISTA DE ENGENHARIA, INFRAESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO NACIONAL, na qual apresentaram duas pautas na seguinte ordem de realização:

A DESVALORIZAÇÃO DO ENGENHEIRO BRASILEIRO

A mesa foi composta por:

- Deputado Federal Ronaldo Lessa,
- Eng. Pedro Celestino, representando o Clube de Engenharia do RJ,
- Eng. Carlos Abraham representado a FNE – Federação Nacional dos Engenheiros,
- Eng. Fábio Resende representando a FISENGE – Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros,
- Eng. Alessandro José Machado, conselheiro federal representando o CONFEA.

A CRIAÇÃO DA ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO GERAL DA UNIÃO – EAGU

A mesa foi composta por:

- Deputado Federal Ronaldo Lessa,
- Senador Hélio José,
- Antônio Carlos representando a ANSEAF – Associação Nacional dos Servidores Públicos Engenheiros, Arquitetos Urbanistas e Engenheiros Agrônomos do Poder Executivo Federal,
- Arq Raquelson Lins representado o CAU/BR – Confederação de Arquitetura e Urbanismo do Brasil,
- Eng. Alessandro José Machado, conselheiro federal representando o CONFEA.

Um ponto comum dos discursos proferidos foi o forte questionamento sobre o silêncio das entidades componentes do sistema CONFEA/CREA quanto ao desmonte da engenharia nacional, a invasão de profissionais estrangeiros promovida principalmente pela China. A falta de investimentos em tecnologia que fez com que o Brasil, de partícipe da vanguarda tecnológica, passasse a dependente das tecnologias importadas.

À exceção do representante do CONFEA, todos os participantes foram unânimes em afirmar a necessidade urgente de o Brasil retornar o quanto antes à categoria dos países que investem em tecnologia, e que também volte a ter planejamento de longo prazo, abandonado sistematicamente pelos governos ocorridos após Collor.

Voz dissonante, o representante do CONFEA proferiu suas palavras finais defendendo o Conselho das fortes alocuções proferidas pelo Eng. Fábio Resende, e afirmou categoricamente que precisamos das tecnologias externas, por não dispor delas! Enquanto todos discutiam as causas dessa falta de tecnologia, o CONFEA ali representado manifestava o seu pensamento defendendo a compra dessas tecnologias, e não o bom combate do retorno à valorização da engenharia nacional, tanto no setor privado quanto na prática saudável de uma futura EAGU – Engenharia, Arquitetura e Urbanismo Geral da União.

O presidente do CREA DF, também presente, não se manifestou a respeito das fortes críticas recebidas pela entidade que preside
.
Estiveram presentes três candidatos à presidência do CREA DF, sendo que o candidato Kleber foi o mais reconhecido e cumprimentado, inclusive pelo Deputado Ronaldo Lessa, que o convidou para compor a mesa na suposta ausência do eng. Fábio Resende, que chegou a tempo de proferir sua brilhante palestra.

Mais uma vez ficou demonstrado o alheamento e desinteresse do CONFEA e do CREA DF com os temas relevantes para a engenharia nacional e seus engenheiros.

Fotos




fonte: valoriza.eng.br
Partilhar:

construção civil

eleições

engenharia

0 comentários: