ARTIGO: Síndico Dengueiro no combate ao aedes em condomínios

Partilhar:
Danntec Engenharia
*Criado em 2015 o programa de monitoramento e combate a dengue em condomínios (SÍNDICO DENGUEIRO), já combateu a dengue em centenas de condomínios do Distrito Federal com ações simples e efetivas no combate ao aedes 


A dengue é uma doença transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti. Além da dengue, o mosquito também é transmissor do chikungunya e zika. 

Assim o SÍNDICO DENGUEIRO tem papel fundamental de combate á dengue no condomínio, uma vez que o mosquito transmissor dessas doenças se desenvolve em até 5 dias em água parada e seus sintomas são muito parecidos. 

A dengue é caracterizada por febre alta repentina, dores musculares, falta de ar, moleza, dor atrás dos olhos. Sua forma mais grave é caracterizada por hemorragias que causam dores abdominais, sangramentos e pode levar à morte. 

A febre chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares permanecem por um longo período. Complicações sérias e morte são muito raras. 

O zika vírus leva a sintomas que se limitam, a no máximo, 7 dias, como febre, dores e manchas no corpo. Não deixa sequelas. 

Para manter-se protegido, é necessária a ajuda de todos. 

Para isso, deixamos abaixo algumas dicas de como se proteger do aedes nas áreas comuns do condomínio e em seu lar: 

1- Remover mensalmente folhas e tudo que impeça a água de correr nas calhas; 

2- Eliminar os pratos que, com vasos de plantas, armazenem água, ou colocar areia nos mesmos; 

3- Evitar plantas aquáticas e as que cumulem água, ou regá-las com uma mistura de um litro de água e uma colher de água sanitária; 

4- Colocar areia nos vasos de plantas ou xaxins; 

5- Desprezar no lixo todos os objetos que acumulem água (tampas de garrafas, cascas de ovos, latas, copos descartáveis, plásticos de cigarros etc.); 

6- Manter caixas d’água, e poços de armazenamento fechados; 

7- Realizar limpeza periódica, com fricção, nos ralos, lavatórios, tanques, esgotos, canos internos e externos e canaletas de drenagem; 

8- Manter fechados caixas de descarga e vasos sanitários sem uso frequente e dar-lhes descarga pelo menos uma vez por semana; 

9- Evitar acúmulo de lixo e entulho e manter bem fechados sacos plásticos e lixeiras; 

10- Manter sempre limpos e aplicar cloro, uma vez por semana, nos ralos, cascatas, lagos e espelhos d’água, podendo, nos dois últimos, manter criação de peixe; 

11- Manter utensílios que possam acumular água, sempre de cabeça para baixo e em local coberto; 

12- Escoar a água acumulada em lajes e ocos de árvores; 

13- Proteger da chuva e manter em local apropriado peças, latarias, sucatas, pneus e outros equipamentos servíveis ou inservíveis aos condomínios e moradores; 

14- Evitar o acúmulo de água nos aparelhos de ar condicionado e no fosso de elevadores; 

15- Acionar o DETRAN/DF para remover carros abandonados da redondeza, ou perfurando, se possível, os locais que estejam acumulando água; 

16- Elimine os objetos que possam acumular água. Vire garrafas com a boca para baixo, retire água dos pneus velhos e guarde-os; 

17- Verifique o acúmulo de água nas áreas comuns do condomínio, nessa época do ano, com as chuvas de verão, é normal formar poças d’água; 

18- Verifique os jardins, muitas vezes a água da chuva não tem por onde escorrer e esse é um grande foco para o mosquito depositar seus ovos, mantenha os ralos e tubulações desentupidos para que possam escoar a água; 

19- Coloque areia até o limite superior nos vasos de plantas ou lave-os regularmente, o acúmulo de água pode ocasionar a reprodução do mosquito. Atente-se aos cuidados especiais com algumas plantas, como, por exemplo, as bromélias, pois acumulam água e podem se tornar depósitos para o mosquito; 

20- Imóveis sem locação, atenção dos síndicos nos detalhes no imóvel que está para alugar ou vender; 

21- Sacadas e terraços, essas áreas que, as vezes, não possuem ralos para o perfeito escoamento da água. Certifique-se de que os ralos estejam funcionando adequadamente; 

22- Comunique os condôminos e coloque informativos no elevador, mantendo a campanha e solicitando permanentes cuidados; 

23- Certifique-se que o condomínio e você em seu lar estejam ajudando, porém, não se esqueça de verificar a vizinhança. Olhe ao redor, veja se todos estão colaborando na prevenção contra o mosquito Aedes Aegypti. 

Dica: utilize borra de café como alternativa. Coloque quatro colheres de sopa cheias de borra de café em um copo com água. O produto não mata a planta e pode ser usado como adubo. É preciso trocar a borra de café a cada sete dias. 

SÍNDICO DENGUEIRO: Programa de Monitoramento e Combate a Dengue em Condomínios. 

Detalhes do programa: Com a elevada incidência de DENGUE NO DF, conforme levantamento dos casos notificados à Secretaria de Estado da Saúde do GDF, com a eficácia do trabalho coletivo na prevenção e no combate às causas de doenças endêmicas a ASSOSÍNDICOS-DF, institui no Distrito Federal e Região Metropolitana o programa SÍNDICO DENGUEIRO, síndico esse que será designado pelo SÍNDICO TITULAR do condomínio, dentre condôminos voluntários, preferencialmente por pessoas vinculadas a parte ambiental e de saúde, para gestão de um ano, quando será substituído por outro voluntário para igual período. 

Objetivos: A ASSOSÍNDICOS-DF oferecerá o apoio técnico necessário ao cumprimento desta ordem de serviço, de acordo com a solicitação do SÍNDICO DENGUEIRO, devidamente validada pelo SÍNDICO TITULAR do condomínio. 

Em caso de suspeita de dengue em funcionário ou morador do condomínio sob sua responsabilidade, o SÍNDICO DENGUEIRO comunicará ao SÍNDICO TITULAR e a vigilância epidemiológica da região administrativa de sua localização. 

A atividade desenvolvida pelo SÍNDICO DENGUEIRO será considerada serviço público voluntário relevante, não ensejando qualquer remuneração pelo condomínio. 

Poderá ao SÍNDICO DENGUEIRO de condomínio onde não for encontrado criadouro do mosquito AEDES AEGYPT, ser concedido, ao término do período de sua designação, isenção de um mês de condomínio, como prêmio ao SÍNDICO DENGUEIRO. 

Principais ações coordenadas pelo SÍNDICO DENGUEIRO: 

Remover mensalmente folhas e tudo que impeça a água de correr nas calhas; 

Eliminar os pratos que, com vasos de plantas, armazenem água, ou colocar areia nos mesmos; 

Evitar plantas aquáticas e as que cumulem água, ou regá-las com uma mistura de um litro de água e uma colher de água sanitária; 

Colocar areia nos vasos de plantas ou xaxins; 

Desprezar no lixo todos os objetos que acumulem água (tampas de garrafas, cascas de ovos, latas, copos descartáveis, plásticos de cigarros etc.); 

Manter caixas d’água, e poços de armazenamento fechados; 

Realizar limpeza periódica, com fricção, nos ralos, lavatórios, tanques, esgotos, canos internos e externos e canaletas de drenagem; 

Manter fechados caixas de descarga e vasos sanitários sem uso frequente e dar-lhes descarga pelo menos uma vez por semana; 

Evitar acúmulo de lixo e entulho e manter bem fechados sacos plásticos e lixeiras; 

Manter sempre limpos e aplicar cloro, uma vez por semana, nos ralos, cascatas, lagos e espelhos d’água, podendo, nos dois últimos, manter criação de peixe; 

Manter utensílios que possam acumular água, sempre de cabeça para baixo e em local coberto; 

Escoar a água acumulada em lajes e ocos de árvores; 

Proteger da chuva e manter em local apropriado peças, latarias, sucatas, pneus e outros equipamentos servíveis ou inservíveis aos condomínios e moradores; 

Evitar o acúmulo de água nos aparelhos de ar condicionado e no fosso de elevadores; 

Acionar o DETRAN/DF para remover carros abandonados da redondeza, ou perfurando, se possível, os locais que estejam acumulando água. 

Responsável pelo programa: EMERSON TORMANN, FRANCISCO BERTOLDO DAS NEVES E PAULO ROBERTO. 

Mais informações: 3027-2771, 93232401, 8497-2015 e 9993-9155. 



*Paulo Roberto Melo é Síndico, Corretor de Imóveis, Administrador de Empresas e Presidente de Honra da ASSOSÍNDICOS-D
Partilhar:

artigo

assosindicos