É a Síria que leva bomba, mas é a esquerda brasileira que se despedaça

Partilhar:
Danntec Engenharia
Por Fernando Horta
bombardeio na Síria - Foto: NBC

Nos últimos dois dias a esquerda brasileira está numa luta intestinal da qual só pode sair mais merda (com o perdão do trocadilho). É um defeito grande de todas as esquerdas do mundo acharem-se reserva moral da luta anti-imperialista e anti-capitalista. Cada um querendo mostrar que sua careca é mais limpa e mais lustrosa e que até o seu bumbum é tão cheiroso quanto o de neném recém trocado.

Enquanto isto, a direita, que esta semi-morta, respira e se apoia. As delações do odebrecht expõem 3 coisas e somente 3 coisas certas:
  1. A Odebrecht só é o que é em função do seu parasitismo com o Estado Brasileiro
  2. Este parasitismo começou nos tempos de Emílio Odebrecht, ou seja lá nos idos dos anos 60 e 70
  3. As empresas brasileiras fazem política e os políticos brasileiros são capitalistas argentários.

De resto, tudo precisa ser investigado e apurado. Para a direita e esquerda. Com relação ao Lula pesam duas coisas e nenhum crime:
  1. Tudo o que falam dele é do período POSTERIOR ao de ser presidente
  2. Usar seu prestígio pessoal em benefício de A ou B não é contra a lei em país algum.
  3. Receber dinheiro pelo seu conhecimento, sua retórica ou seus contatos chama-se "capitalismo" e "networking".

O resto são ilações, inveja, desonestidade intelectual, preconceito, discurso de ódio, traição de quintas colunas e etc. Escolha onde o seu discurso se encaixa.

E guarde suas avaliações éticas para quando você for votar para miss mundo ou para o próximo papa. Política não é uma aula de jardim de infância onde crianças puras expressam suas ideias e vontades de forma livre buscando o elogio das professoras. Política é suja, baixa, violenta e pragmática. Se você quiser governar, vai ter que aceitar negociar com feudos de poder encalacrados localmente ou burocraticamente. Só faz discurso do purismo ético na política um fascista ou a esquerda que nunca ganhou eleição.

O momento exige pragmatismo. O momento exige união. Parem de picuinhas.

Edit1: E tudo o que o Emílio Odebrecht disse, nós historiadores conhecemos no mundo todo desde o século XVIII. Não existe capitalismo sem corrupção. O que leva ao entendimento que a corrupção é um subproduto do capitalismo.

Edit 2: Todo o empresariado brasileiro fez e faz exatamente como o Odebrecht, talvez em escala um pouco menor. Vá em qualquer município brasileiro e veja o que é uma licitação.

Edit 3: a mesma cara de santo do Mainardi negando a sua delação fez a Luciana Genro ... então ... menos "moral de cuecas" e mais pragmatismo.
Partilhar:

ABBP

ATUALIDADE POLÍTICA

corrupção

MCB

NOTICIAS

tendência política