Professores fazem paralisação até sexta

Partilhar:
Danntec Engenharia
compauta.com.br

Em assembléia realizada nesta segunda (23), o Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) pediu a quitação imediata dos pagamentos em atraso – entre eles o 13º salário e as férias – pelo menos desde dezembro, para o início das aulas. Ao total, o governo deve R$ 120 milhões. Como não houve acordo, os professores votaram por uma paralisação até a próxima sexta-feira (27).

O diretor do Sinpro-DF, Washington Dourado, questiona a prioridade do governo para a educação pública. Washington acusa o GDF de praticar “terrorismo contra os professores”. Segundo o Dourado, os professores decidiram manter a paralisação por não aceitar a “indefinição” do GDF. “Hoje a categoria demonstrou revolta com o governo. Sabemos que o GDF encontrou o caixa ruim, mas ninguém acredita que não há mais nada que possa ser feito”, disse ele após votação.

O governo se comprometeu a apresentar os recursos arrecadados até a próxima sexta e a receita prevista para entrar em março. Somente com os dados será possível avaliar a possibilidade de antecipar os pagamentos atrasados para março. De acordo com o Sindicato dos Professores (Sinpro), outra reunião com o GDF está prevista para a próxima sexta. Em seguida, a categoria realiza nova assembleia.

A paralisação afeta 470 mil alunos das escolas públicas do DF. A rede tem 27 mil professores, já incluindo 3,5 mil temporários. As aulas deveriam ter sido retomadas nesta segunda, após terem o início adiado pelo GDF por duas semanas.


Fonte: Erik Paixão / Compauta
Partilhar:

ATUALIDADE POLÍTICA

Distrito Federal

educação

GDF

Governador

Governo