A saída de Serra não resolve os problemas de Aécio

Partilhar:
Danntec Engenharia
José Serra recolheu os flaps como exigia a maioria do PSDB. Sua candidatura jamais decolou e a rejeição interna ao seu nome era igual a do eleitorado. Os problemas dos tucanos, contudo, não se resumem ao ex-governador de São Paulo. A candidatura de Aécio Neves também não empolga e até mesmo o aliado tradicional, o PPS, já pulou de barco, defendendo o nome de Eduardo Campos (PSB) como mais viável para derrotar Dilma Rousseff.

Foto: Waldemir Barreto/Agência-Senado


A intenção dos tucanos de lançar uma chapa puro sangue com o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) de vice é mais uma prova do isolamento do PSDB. Até mesmo dentro do DEM, outro parceiro fiel, há quem defenda o lançamento de um nome ao Planalto para firmar posição no eleitorado mais à direita, o que deixaria os tucanos com o tempo de TV ainda mais minguado. Se não bastasse a falta de apoio interno e externo, agora Aécio Neves ainda perde seu marqueteiro, Renato Pereira, da Prole. Pereira não é um marqueteiro convencional e sua aquisição era um trunfo de Aécio. A ruptura ganha destaque no dia em que Aécio pretende lançar um documento com 12 propostas para o país, com foco no agronegócio.
Partilhar:

Opine: